segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Carmen Miranda



Não poderia deixar passar o centenário do nascimento de Carmen Miranda sem deixar uma pequena nota, afinal, vivo na terra que viu nascer a "pequena notável"...
Carmen Miranda foi baptizada com o nome de Maria do Carmo Miranda da Cunha, adquirindo mais tarde no Brasil o nome de Carmen devido ao gosto do seu pai por opéra.
A sua carreira artística transcorreu no Brasil e Estados Unidos. Trabalhou na rádio, no teatro de revista, no cinema e na televisão. Chegou a receber o maior salário até então pago a uma mulher nos Estados Unidos.
No início de agosto de 1955, Carmen gravou uma participação especial no programa televisivo do comediante Jimmy Durande. Durante um número de dança, sofreu um ligeiro desmaio, desequilibrou-se e foi amparada por Durante. Recuperou-se e terminou o número. Na mesma noite, recebeu amigos na sua residência em Beverly Hills. Por volta das duas da manhã, após beber e cantar algumas canções para os amigos presentes, Carmen subiu para seu quarto para dormir. Acendeu um cigarro, vestiu um robe, retirou a maquilhagem e caminhou em direcção à cama com um pequeno espelho na mão. Um colapso cardíaco fulminante derrubou-a morta sobre o chão. Seu corpo foi encontrado pela empregada na mesma noite. Tinha 46 anos.
Em 12 de agosto de 1955,o seu corpo embalsamado desembarcou de um avião no Rio de Janeiro. Sessenta mil pessoas compareceram ao seu velório realizado no saguão da Câmara Municipal da então capital federal. O cortejo fúnebre até o Cemitério São João Batista foi acompanhado por cerca de meio milhão de pessoas que cantavam esporadicamente, em surdina, "Taí", um dos seus maiores sucessos.

1 comentário:

Daniel Silva (Sair das Palavras) disse...

Olá

Passa no meu blogue e aceita o desafio.