quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Alma Perdida

Toda esta noite o rouxinol chorou,
Gemeu, rezou, gritou perdidamente!
Alma de rouxinol, alma da gente,
Tu és, talvez, alguém que se finou!

Tu és, talvez, um sonho que passou,
Que se fundiu na Dor, suavemente...
Talvez sejas a alma, a alma doente
Dalguém que quis amar e nunca amou!

Toda a noite choraste... e eu chorei
Talvez porque, ao ouvir-te, adivinhei
Que ninguém é mais triste do que nós!

Contaste tanta coisa à noite calma,
Que eu pensei que tu eras a minh'alma
Que chorasse perdida em tua voz!...

Florbela Espanca

6 comentários:

Daniel Silva (Sair das Palavras) disse...

Quando eu morrer, procura-me no mar, dizia Florbela espanca.
Bom poema

Cem disse...

Espanca(me)

gritante, como só ela...

Beijo

Xana disse...

Nossa Florbela , só ela mesmo :)

saltitando vim para aqui no seu blog, visita-me também
bom fim de semana :)

Sentimentos Sombrios disse...

Adorei o seu blog!!!
E Florbela é simplismente maravilhosa, intensa, rascante...
Abraços

manzas disse...

Lá fora chove o calado momento
Que repassa na alma, ansiedades…
Saltam inquietas chamas de dentro
Do meu peito, alagadas saudades

Um fim-de-semana ensopado
De paz e harmonia…
De coração ornamentado
De muita alegria

O eterno abraço…

-Manzas-

dark_soul disse...

Ainda bem k gostaram, Florbela Espanca é das melhores poetisas, pelo menos para mim.
Obrigada pela visita e por todo o carinho.
bjinos e abraços