sexta-feira, 17 de junho de 2011

Hoje depois de tanto tempo senti que preciso de escrever, não o fiz antes por não querer mas por não ter tempo, quase não o tenho para mim, quanto mais para escrever as minhas crises, as minhas ansiedades.
Estou bem, sinto me de certa forma tranquila em relação às drogas, em relação ao passado mas as cicatrizes ficaram e fundas na minha maneira de ser.
Na noite anterior a fazer 27 anos tive uma recaída, arranjei droga e consumi. Foi só aquela vez mas foi o suficiente para entender que não quero mais.... a ansiedade que eu tinha de consumir, de procurar aquele pózinho "mágico" desapareceu. Já não  penso em consumir,em sentir aquela tranquilidade na minha alma, entendi que aquilo não me levará a lado nenhum, não arrancará a dor que ficou em mim, essa sim eu sei que não posso apagá-la mas a dor causada pela droga eu posso combate-la e é isso que irei fazer, cada dia é uma batalha e eu não posso nem quero perder esta guerra. 
Apesar da vida não ser como eu desejei que fosse, apesar de a felicidade me fugir entre os dedos, apesar de todas as dificuldades que me possam surgir irei sempre lutar....nem que perca tudo e volte a renascer, nem que sofra na pele todas as dificuldades, todas as amarguras.
Nesse dia senti o amor aliado ao sofrimento, senti  realmente o que de mal pode acontecer e o sofrimento que pode causar às pessoas que estão à minha volta, que realmente se preocupam comigo e me amam de verdade. Entendi que com o pouco posso ser feliz, como nunca fui. Que a droga só irá destruir o bom que consegui e que foi o melhor que alguma vez tive e que tanto me custou a conseguir. 
Agora só preciso de recuperar a minha auto estima já que emagreci 9 quilos e a confiança nas pessoas. Vai custar mas vou conseguir mudar, senão vou acabar por perder e muito e eu não posso.
Tenho sempre de pensar que atrás de uma montanha está outra, se não for maior é mais pequena, o que importa é nunca baixar os braços e continuar a lutar por mais dificil que seja.

7 comentários:

Anónimo disse...

olá é o vitor que já te escreveu algumas vezes. continua a tua vida. O que passou, passou...
faz o favor de ser feliz e continua com a tua força...
a viver uma nova vida...

abraço do Vitor...

David Pinto Faria disse...

Tenho acompanhado os teus posts, mas só agora é que decidi comentar... Mas só tenho uma palavra para ti: FORÇA! Todos os teus seguidores ACREDITAM EM TI! abraço...

dark_soul disse...

Obrigada aos dois por toda a força.
Tudo de bom

Renata Silva disse...

Olá,

Chamo-me Renata Silva e sou uma jovem jornalista estagiária de um projecto sobre Ciência que está em fase inicial. Estou a escrever um dossier sobre drogas e gostava de ter o teu testemunho no meu trabalho. Não preciso de nomes, posso dar um fictício.

Por favor, se puderes e estiveres disponível a ajudar-me, neste trabalho que pode ser importante também para ajudar os outros, contacta-me para o seguinte e-mail: silva.renata09@gmail.com

Obrigada!!

Cumprimentos,
Renata

Anónimo disse...

tenho pena que parasses de actualizar o blog. ainda agora procura actualizações...muitas felicidades e sorte e saúde!!!

Beijo Vitor

Anónimo disse...

Olá Dark Soul,

descobri o teu blog à pouco tempo, logo agora que deixaste de partilhar :(((
A minha história em muito se parece com a tua e para mim, a universidade foi passar a tratar o fundo do poço por tu...perdi o meu melhor amigo com overdose e esse momento foi o meu click, foi o início do meu recomeçar.
Agora já se passaram mais de 8 anos e cá estou firme.
Quero oferecer-te este poema, acho que vais gostar.



Cântico Negro

"Vem por aqui" - dizem-me alguns com os olhos doces
Estendendo-me os braços, e seguros
De que seria bom que eu os ouvisse
Quando me dizem: "vem por aqui!"
Eu olho-os com olhos lassos,
(Há, nos olhos meus, ironias e cansaços)
E cruzo os braços,
E nunca vou por ali...

A minha glória é esta:
Criar desumanidade!
Não acompanhar ninguém.
- Que eu vivo com o mesmo sem-vontade
Com que rasguei o ventre à minha mãe

Não, não vou por aí!
Só vou por onde
Me levam meus próprios passos...

Se ao que busco saber nenhum de vós responde
Por que me repetis: "vem por aqui!"?

Prefiro escorregar nos becos lamacentos,
Redemoinhar aos ventos,
Como farrapos, arrastar os pés sangrentos,
A ir por aí...

Se vim ao mundo, foi
Só para desflorar florestas virgens,
E desenhar meus próprios pés na areia inexplorada!
O mais que faço não vale nada.

Como, pois sereis vós
Que me dareis impulsos, ferramentas e coragem
Para eu derrubar os meus obstáculos?...
Corre, nas vossas veias, sangue velho dos avós,
E vós amais o que é fácil!
Eu amo o Longe e a Miragem,
Amo os abismos, as torrentes, os desertos...

Ide! Tendes estradas,
Tendes jardins, tendes canteiros,
Tendes pátria, tendes tectos,
E tendes regras, e tratados, e filósofos, e sábios...
Eu tenho a minha Loucura !
Levanto-a, como um facho, a arder na noite escura,
E sinto espuma, e sangue, e cânticos nos lábios...

Deus e o Diabo é que guiam, mais ninguém.
Todos tiveram pai, todos tiveram mãe;
Mas eu, que nunca principio nem acabo,
Nasci do amor que há entre Deus e o Diabo.

Ah, que ninguém me dê piedosas intenções!
Ninguém me peça definições!
Ninguém me diga: "vem por aqui"!
A minha vida é um vendaval que se soltou.
É uma onda que se alevantou.É um átomo a mais que se animou...
Não sei por onde vou,
Não sei para onde vou
-Sei que não vou por aí!

José Régio, in 'Poemas de Deus e do Diabo'

Bjs e coragem!!

Mia disse...

Olá Dark_Soul, li o teu testemunho no blog e fiquei impressionada com a tua história.
Sei que há poucos casos de "sucesso" na recuperação da droga, e gostava de continuar a ler o teu testemunho.
O meu pai também é ex-toxicodependente, e para mim é o melhor homem do mundo.
Felicidades e um beijinho!
Muita força ;)