quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

....

"NA MARGEM DO RIO PIEDRA...

Eu me sentei e chorei.

Conta a lenda que tudo que cai nas águas deste rio - as folhas, os insetos, as penas das aves - se transforma nas pedras do seu leito.

Ah, quem dera eu pudesse arrancar o coração do meu peito e atira-lo na correnteza, e então não haveria mais dor, nem saudade, nem lembranças.

Ás margens do rio Piedra eu me sentei e chorei.

O frio do inverno fez com que eu sentisse as lágrimas em meu rosto, e elas se misturaram com as aguas geladas que correm diante de mim.

Em algum lugar este rio se junta com outro, depois com outro, até que - distante dos meus olhos e do meu coração - todas estas águas se misturam com o mar.
Que as minhas lágrimas corram assim para bem longe, para que meu amor nunca saiba que um dia chorei por ele. Que minhas lágrimas corram para bem longe, e então eu esquecerei do rio Piedra, do mosteiro, da igreja nos Pirineus, da bruma, dos caminhos que percorremos juntos.

Eu esquecerei as estradas, as montanhas, e os campos de meus sonhos - sonhos que eram meus, e que eu não conhecia.''
                            Paulo Coelho(Nas Margens do rio Piedra, sentei e chorei...)

Porque adorei ler o livro e porque independente daquilo que pensam ou dizem, eu adoro os livros do Paulo Coelho, adoro a maneira como escreve, a forma como nos consegue prender a cada livro, a cada história. A mim faz-me pensar, refletir sobre tudo.
Este pequeno texto expressa aquilo que eu sinto. Não só ao meu relacionamento que acabou mas também a algumas lembraças recentes e até mesmo em relação a coisas que se estão agora a passar na minha vida. Sentimentos que eu não posso nem devo sentir. Uma raiva imensa de me dar assim tanto às pessoas mas por outro lado uma sensação imensa de liberdade, de loucura. Aproveitar cada momento, sugar cada minuto da minha vida. Eu agora sinto-me mais leve, com vontade de me divertir conhecer pessoas novas mas isso também me leva a ter receio de não estar a tomar as melhores decisões na minha vida. Acho que nunca as fiz, fui sempre por maus caminhos... mas independentemente de tudo isso o único sentimento que não tenho é de arrependimento, se pudesse não mudaria nada, todas as minhas "cabeçadas" me tornaram mais forte e ensinaram-me muita coisa. Se aprendi foi com os meus erros, e se sou por vezes dura e até fria foi devido àquilo que aprendi.
Só que o coração por vezes engana-me, deixa-me levar por ele e não pela razão acabando muitas vezes por me magoar.

1 comentário:

LEO disse...

Beijoss grandesss e bom final de semana!
LEO
Envie até o dia 28
Sua SeximageM e SexicontO
Para o concurso de aniversario do
SeximaginariuM